cadastrese

Pessoas online

Nós temos 1 visitante online
Efeitos Colaterais da Radioterapia PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Efeitos Colaterais da Radioterapia

Embora seja um tratamento eficaz para muitos tipos de câncer, a Radioterapia, assim como outros tratamentos, pode causar efeitos colaterais. Estes variam de pessoa para pessoa, conforme o tipo e localização do câncer, a dose de tratamento e saúde da pessoa.

Os efeitos colaterais associados com a terapia de radiação podem ocorrer devido as altas doses de radiação usada para matar células cancerosas, doses que também podem danificar células saudáveis ao redor da área cancerosa. No entanto, importantes melhorias na tecnologia de radiação tornaram os tratamentos mais precisos, resultando em menos efeitos colaterais.

Para algumas pessoas, a radioterapia provoca poucos ou nenhuns efeitos secundários. Já para outros, os efeitos colaterais são mais graves. As reações geralmente começam pela segunda ou terceira semana de tratamento e podem durar várias semanas após a última aplicação da radiação. Por este motivo o acompanhamento médico especializado é muito importante, para prevenir e auxiliar sobre estes efeitos durante todo o processo do tratamento.

Efeitos Colaterais comuns da Radioterapia

Muitas pessoas que recebem radioterapia apresentam problemas de pele, como ressecamento, coceira, bolhas ou descamação. Esses problemas são normalmente resolvidos dentro de poucas semanas após o fim do tratamento. Se os danos na pele derivados do tratamento de radiação se tornarem muito graves, o médico pode alterar a dose ou esquema de tratamentos.

Outro efeito colateral comum é a fadiga (falta de energia). Fadiga associada com o tratamento do câncer é diferente da fadiga por falta de sono, é uma sensação de exaustão que não melhora com o repouso. O nível de fadiga pode alterar caso o pacientes esteja passando por outros tratamentos, como quimioterapia.

Dependendo de qual parte do corpo recebe a terapia por radiação, outros efeitos colaterais podem incluir:

  • Diarréia
  • Náuseas e vômitos
  • Boca seca
  • Dificuldade em engolir
  • Inchaço
  • Perda de cabelo
  • Problemas sexuais
  • Problemas urinários e na bexiga

Embora a maioria dos efeitos colaterais desapareça após o tratamento, alguns podem aparecer meses ou anos depois. Entre estes estão o surgimento de cancros secundários, no entanto, o risco de isto acontecer devido ao tratamento por radioterapia é muito baixo.

Efeitos colaterais específicos

Além dos efeitos colaterais previamente descritos, outros podem surgir dependendo de onde a radiação foi aplicada:

Cabeça e Pescoço: Os efeitos colaterais da radioterapia na cabeça e pescoço podem incluir boca seca, dificuldade em engolir, feridas na boca e gengiva, rigidez na mandíbula, e náuseas.

Além disso, a cárie dentária pode ocorrer. Antes de iniciar a terapia de radiação para qualquer câncer de cabeça e pescoço, é importante visitar um dentista oncológico (um dentista com experiência no tratamento de pessoas com câncer de cabeça e pescoço). Este dentista pode recomendar a remoção dos dentes antes do início do tratamento para ajudar a prevenir osteorradionecrose (doença da mandíbula) e pode receitar um tratamento especial com flúor para ajudar a prevenir a cárie dentária.

Peito e Tórax: Os efeitos colaterais da radioterapia no tórax podem incluir dificuldades em engolir, tosse, febre, falta de ar, dor na mama ou mamilo, e rigidez no ombro. Algumas pessoas podem apresentar febre e plenitude do peito que é diagnosticado como pneumonite por radiação, uma inflamação do pulmão que pode ocorrer entre duas semanas e seis meses após a radioterapia. Se esta não for tratada pode causar uma fibrose por radiação (inflamação dos pulmões devido a radiação), que é associada com problemas cardíacos e pulmonares. Estes efeitos são previamente estudados pelo médico oncologista que irá definir a dose certa de radiação a ponto de evitá-los.

Estômago e Abdômen: Os efeitos colaterais da terapia de radiação para o estômago e abdômen podem incluir náuseas, vômitos ou diarreia. Estes sintomas provavelmente vão desaparecer quando o tratamento é concluído. O médico pode prescrever medicamentos para estes efeitos colaterais, e alterações em sua dieta para reduzir o seu desconforto.

Pelvis: Os efeitos colaterais da radiação à pelvis podem incluir problemas digestivos e irritação da bexiga. Beber líquidos, exceto bebidas alcoólicas ou com cafeína, pode ajudar a prevenir a desidratação associada com diarréia.

Além disso, a terapia de radiação pode afetar o sistema reprodutivo. Algumas mulheres que receberam altas doses de radioterapia podem parar de menstruar e apresentar sintomas da menopausa, tais como coceira vaginal, ardor e secura. Pode ocorrer também infertilidade permanente (incapacidade de conceber um filho ou manter uma gravidez), isto caso ambos os ovários recebam a radiação. Homens submetidos a radioterapia para os testículos ou para órgãos vizinhos, como o de próstata, terão redução de espermatozóides e atividades do esperma, o que afeta a fertilidade (capacidade de ser pai de uma criança).

Em casos específicos a radioterapia pode levar a outros problemas sexuais, tanto em homens como em mulheres. Por exemplo, a radiação aplicada na próstata pode resultar em impotência (incapacidade de manter uma ereção). Além disso, pode afetar as funções do reto, bexiga e pênis. Os efeitos colaterais podem incluir diarréia, sangramento retal, incontinência e impotência.

E importante que você converse com seu médico e tire todas as suas dúvidas, não tenha medo de perguntar, cada caso é específico e variável conforme a pessoa. Evite problemas e saiba o que vai acontecer com você e com o seu corpo durante e após o tratamento.

http://centrodeoncologia.com

 


Serviço de Atendimento ao Cliente: (11) 2954-9077 ou (11) 98191-8528 falar com Estela

Linda e Charmosa - Site em Joomla + Css - Otimização by Fireserv.com.br